Adultos que querem voltar ao Berço - Pr.Evaldo Rocha

“Adultos que querem voltar ao berço”
Por Evaldo Rocha

     Todo ser humano precisa passar pelo berço. O universo de um bebê definitivamente inclui o berço. Crianças que não passaram pelo berço morreram antes e deixaram de experimentar o milagre da vida e do crescimento. O berço é – na maioria dos casos - um lugar confortável e repleto de afago, onde o bebê desfruta de aconchego mesmo que os pais estejam vivendo momentos aterrorizantes.  

     Devemos ressaltar que a criança está de passagem pelo berço. Este seu universo - onde é sempre aplaudida, independente do que faz - terá fim. Haverá o momento em que deverá olhar com mais entendimento para o que está fora de seu próprio berço. Significa que mesmo sendo mimada de todas as formas, um dia deixará esse lugar confortável para ser confrontada com tudo que está além das fronteiras de seu bercinho. Neste caso, permanecer no berço é algo irracional para quem está crescendo de forma saudável. 

     Existem adultos que estão fazendo o caminho inverso, querem voltar ao berço, fazendo todo tipo de pirraça, e não aceitando correções como adultos que são – pelos menos na idade cronológica. Comportam-se como crianças mimadas.

     Existem adultos que estão fazendo o caminho inverso, querem voltar ao berço, querendo atenção exclusiva sob pena de chamarem a atenção através de um comportamento infantilizado. Expõem-se como adultos agindo como crianças.

     Existem adultos que estão fazendo o caminho inverso, querem voltar ao berço, exigem afagos constantes e músicas para ninar. Estão sempre querendo alguma coisa numa insatisfação avassaladora. Acabam como adultos egoístas.

     Existem adultos que estão fazendo o caminho inverso, querem voltar ao berço, estão sempre fazendo “bico” quando alguma coisa não se apresenta da forma que planejavam ou quando lhes retiram algo. Vivem pensando que o mundo gira em torno deles.

     Existem adultos que estão fazendo o caminho inverso, querem voltar ao berço, agem esperando o aplauso dos outros e não admitem recriminação ou exortação. Ficam aborrecidos diante das correções que deveriam ser encaradas como uma das formas de aprendizado. Perdem as oportunidades de crescimento.

     Existem adultos que estão fazendo o caminho inverso, querem voltar ao berço, transformam-se em pessoas que vivem fora da realidade, retornando inconscientemente ao seu universo “berçal”. Algumas precisam de ajuda psicológica para deixarem o que é incompatível com a vida adulta e reorganizarem suas vidas.  

     Adultos que voltam ao berço são crianças que não se desenvolveram de forma adequada como pessoa: fisicamente, psicologicamente, socialmente e espiritualmente. Desprezam o exemplo de Cristo: “Jesus ia crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens” (Lc 2.52-NVI). O texto aponta para o fato de que a vida é um processo de crescimento constante.

     Adultos que voltam ao berço contrariam a Palavra de Deus que afirma: “Embora a esta altura já devessem ser mestres, vocês precisam de alguém que lhes ensine novamente os princípios elementares da palavra de Deus. Estão precisando de leite, e não de alimento sólido! Quem se alimenta de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça. Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal” (Hb 5.12-14-NVI). O texto aponta para o fato de que alguns estão permanecendo na infantilidade espiritual, se fosse física, seriam vistos como “anormais”.

     Israel Belo de Azevedo, em seu livro Academia da Alma, afirma que “tem gente que parece ter o complexo de Peter Pan, querendo ficar criança para sempre”. Este comportamento não revela saúde em nenhum nível da existência humana, porque contraria o processo natural da vida.

     Adultos saudáveis são pessoas que deixaram o berço e não pretendem voltar para lá, estão seguindo suas vidas no caminho da maturidade. Procuram tratar de suas idiossincrasias (comportamento estranho ou diferente do usual, diferente daquele que geralmente é visto como comum) com honestidade, sem culpar o outro. Adultos saudáveis estão focados no Pai Eterno, e submetem-se a Ele incondicionalmente, investindo em uma vida de obediência.

     Como você está? Você já deixou o berço ou está querendo voltar a ele?

Pr Evaldo Rocha